quarta-feira, 30 de maio de 2012

Tira ou não tira?

A cozinha me espera, a casa me espera, a roupa na máquina me espera, Elisa está tirando um cochilo e eu não posso deixar de escrever sobre essa pulga atras da minha orelha me incomodando: Elisa e o Peito.
Então senta que lá vem história. A galera do : Tira, Tiraaa, já está me enlouquecendo, eles fazem manifestos, levantam faixa, passam carro de som na frente da minha casa, me ameaçam por telefone e já estão fazendo até cara feia quando me veem amamentando (tudo mentira, só a cara feia é verdade). Mas o meu caso de amor com a amamentação é muito maior, e por isso eu digo : O peito fica!

Quando descobri que estava grávida não me importava nem um pouco com esse ato: amamentar. Não que eu não quisesse amamentar, só que não passa pela minha cabeça que esse ato tão amoroso, tão natural, seria também tão complicado. Só comecei (pausa para a nova ortografia, sem ç) a ter noção que o trem não seria tão fácil assim com 6 meses de gestação. Bem desnaturada né ?! Na verdade tudo na minha gravidez aconteceu com 6 meses, descobri o sexo, comecei a compra o restante do enxoval, o quarto, tudo bem corrido. Antes disso  quase ninguém sabia que eu estava barriguda e os outros 5 meses de gestação eu fiquei só planejando como eu iria contar sobre a barriga. Não, não foi irresponsabilidade e sim medo, grávida aos 20 não é fácil....

Entón depois que já estava mais preparadinha comecei a cuidar do peito, passei a tal bucha algumas vezes, providenciei a Lanidrat (pomada para rachaduras), tomei sol (pra se sincera, poucas vezes também) e providenciei um abajur.

No dia em que a pequena nasceu mamou que uma belezinha, e assim foram os 3 primeiros dias. Como eu estava parecendo uma vaca leiteira, com as teta cheias, mais muito cheias, não tinha como ela pegar toda a aureola. Foi ai que no dia da minha alta na maternidade, com aqueles peitos ficando roxos de tanto leite, que fizeram a ordenha manual  tiraram leite pra caramba ( claro eu não me lembro a quantidade), prestei muita atenção pois iria ter que repetir a dose in my home e eu fiquei me achando a mais leiteira da face da terra!
Mais ai meu bem já era tarde demais, pois três dias foram o suficiente para ajudar as tetas racharem no quarto dia! Mas rachou porque ? Por um único fator, ela estava pegando o bico do peito de forma errada.
Começou então o Deus nos acuda!
Peito ardendo muito, peito rachado, peito sangrando, nenem chora, mamãe chora, todas na casa chora!
Foi mais ou menos assim por uns 15, 20 dias. Passou esse tempo um bico curou e o outro ficou rachado por uns 10 dias.

No dia que o peito rachou pela primeira vez, Elisa chorava muito com fome e eu estava com medo de dar o peito, eu chorava também, não sabia o que fazer pra conter a fome da pobrecriança. Mais eis que minha vó me saca uma mamadeirona e taca guela abaixo da bebe esfomeada e... vualá o chororo se foi. Eu poderia me render, me entregar e abandonar o mama do peito naquela hora, mais não, fui firme, e também não aceitava mais vê-la tomando outro leite que não fosse o meu. O que eu fiz e pode ser útil para alguém, ou não:

- meu avô me comprou aqueles bico de silicone que coloca no mamilo. (Péssimo para mim, porque imagina bem o peito rachado entrando e saindo daquele biquinho de plástico. Mais tem muita mãe que gosta)

- luz solar (ajudava muito a secar o molhadinho que ficava do leite e da saliva)

- a tal luz do abajur ( eu colocava bem próximo ao bico do peito, não encostava, era o mesmo efeito da luz solar, usava nos dias que não tinham sol)

- lanidrat ( passava a pomada entre uma mamada e outra, para não deixar ressecar, ajudou, mas não sei se foi o que resolveu)

- mamão ( sim, pedaço de mamão no bico do peito, tágico não façam isso em casa, fede e suja tudo e todos)

-ordenha manual (acho que de tudo foi o que realmente valeu e é o que fez meu leite não secar)
Eu colocava um taçinha de plástico em baixo do peito e ia fazendo massagem  e  o leite ia esguichando pra dentro da taçinha. Eu ficava lá por 40 minutos ( o tempo de uma mamada) tirando leite. Lembro que foi muito cansativo esses dias. Pois quando ela dormia, eu não ia dormir junto, eu tinha que tirar o leite pra mamada dela. Então ela acordava eu dava o leite materno na mamadeira, ela dormia eu ia tirar mais, depois eu comia algo e quando pensava em tirar um cochilo, ela acordava e começava tudo de novo.

Foi ai que veio a idéia do Nestogeno, para meu descanço. Ai ficou assim: uma mamadeira de leite materno e a outra de leito da latinha, e foi assim os 15 dias. Até que um bico  do seio secou, eu abandonei o leite da latinha, e ficou assim: um mámá no peito e outro o leite da retirada na mamadeira (que Deus a tenha). Até que, os dois bicos ficaram bons e todos ficaram felizes para sempre....


******************



Para sempre nada.
A verdade é que este post está a meses no rascunho e sempre tem algo que me impede de coloca-lo no blog (como falei aqui). Dessa vez ele quase não vinha também, ando tão sei lá, as vezes sem paciência para amamentar, parece que meu caso de amor com a amamentação está chegando ao fim.
Quando vejo a Elisa toda independente fazendo altas coisas sozinhas me dá vontade de dar um fim no mámá. Ontem por exemplo ela catou uma banana da fruteira descascou e quando eu me dei conta estava ela desfilando com o ultimo pedaçinho de banana na mão, achei lindo superhipermegaultra independênciachildren. 
Mais ai  eu fico me perguntando me questionando,  vou tira-lá do peito e coloca-la aonde?? Numa mega e gingantesca mamadeirona de mucilon? Resisti até hoje, dei as super mamadeiras importadas que ela ganhou do meu primo americano para a priminha dela (primo lindo não me mate, as mamadeiras voltaram para ela algum dia, e estarão guardadas comigo para todo sempre), prometi ao céus que não daria mamadeira a criança, e agora me pego nesse dilema danado.
Ah e tem outra, já sinto que ela está cada vez querendo mais o peito. Se ela se irrita o que ela quer?Peito. Se dou uma saidinha rápida, quando volto o que ela quer? Peito. Uma saidinha demorada? Peito. Ela dorme no peito e quando tiro? Peito? Não. Chora. Chora sem parar, assim desesperada.
Estou esperando uma boa oportunidade para dar  o fim sem traumas ao nosso querido, amado e tão desejado mámá., ou não, amanhã posso mudar de opinião e começar a amar a amamentação novamente e toda essa minha vontade de parar vai pro brejo .



Parem com os flashes. Deixem eu mamar em paz, mamãe não quer , mais eu quero

terça-feira, 15 de maio de 2012

O post que não veio e outros acontecidos

Bom estava com um post semi pronto aqui no rascunho, iria termina-lo hoje, na verdade agora. Mais como mãe está sempre pronta pra "pagar a língua", aqui estou eu pra pagar a minha! Meu post está estava falando sobre o como eu amo amamentar e  de como eu pretendia  levar a  amamentação até os dois anos ( ou mais). E ai que no domingo comecei a ter aquelas velhas sensações de início de amamentação, peito ardendo, peito doendo, peito empedrando. Socorro de novo não, né possível! Agora já não sei mais o que eu vou fazer, as tetas tão doendo, a bebê criança já tem dentes que travam no bico do peito e nada faz largar. Tive febre, calafrios e flash backs nada agradáveis. E claro foi a deixa que alguns precisavam pra gritar bem alto: agora tira,  aproveita o momento e tira ela do peito.

Por isso meu post vai ficar guardado, pra quando meu peito melhorar, ou se por acaso eu resolver desmamar, não sei.


******

Essa semana que passou estava muito emotiva chorei por tudo.

Elisa completou 18 meses. E hoje com 18 meses e uma semana, já percebo mudanças notáveis no desenvolvimento da boneca!

Apagando a velinha, percebem?





Dia das Mães

mãe, eu, vózinha, wa, e a Elisa cadê?Dormiu.


E claro, o auge da semana (passada). Elisa a boneca de cabelos vermelhos tentou nada mais nada menos do que?? Sair do berço! O resultado foi esse:

dança do ombrinho
olha minha cara de preocupação com meu ombro deslocado!

Pois é! Uma tentativa nada feliz!
Como diz o pai dela: Seguraa, que o bicho vai pegar!
Agora estou brincando mais foi um susto tremendo, e cai aos prantos, junto com ela.
E depois do ombro deslocado, vieram vários tombos por falta de equilíbrio, pobrecriança!
Amanhã vamos ao ortopedista e amanhã seriam tiradas as ataduras, mais Elisa não aguentou e ontem mesmo já poupou o trabalho do médico.
Ontem (segunda) ela amanheceu com os dois braçinhos pedindo colo no berço, como estava de manhã bem cedo, um frio danado, não percebi o acontecido. Quando a tirei do berço notei que a criaturinha estava sem a fralda, ai mais que depressa peguei e levei ela para nossa cama -o ritual matinal- para dar mamá, foi ai que na hora de trocar percebemos que o braço que era para estar ali encolhido dentro da faixa, já não estava mais, era uma vez um braço enfaixado! Amanhã teremos notícias se está tudo bem, ou não.


Agora me fala, alguém da conta desse mulequinho, que veio em formato de menininha doce?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...